Terça, 13 Março 2018 17:42

Em reunião com o Sindeletro, governador Camilo Santana ratifica apoio contra a privatização da Eletrobras/Chesf Destaque


Governador Camilo Santana recebeu dos dirigentes sindicais uma camisa da campanha contra a privatização da Chesf e uma carranca que tem sido o símbolo da luta contra a ameaça ao Rio São Francisco


Mais um grande passo contra a privatização do sistema Eletrobras/Chesf foi dado na tarde desta segunda-feira (12/03) no Ceará. Em reunião com dirigentes sindicais do setor elétrico, o governador Camilo Santana (PT) reafirmou o compromisso de lutar contra a privatização do sistema Eletrobras e de suas subsidiárias, entre elas a Chesf.  A audiência com o governador cearense foi resultado da articulação do Sindicato dos Eletricitários do Ceará (Sindeletro) com o deputado estadual Elmano de Freitas (PT), que tem sido um importante parceiro do movimento que se opõe à venda da Eletrobras/Chesf, atendendo sempre às demandas do Sindeletro neste sentido.

Participaram da reunião com o governador Camilo Santana o presidente do Sindeletro, Cesário Macêdo; a vice-presidente Joelbia Maia; e os diretores da entidade, Reginaldo Leitão e Flávio Uchôa. Vieram ao Ceará exclusivamente para a agenda, Fernando Neves e José Gomes Barbosa, representantes do Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco e da Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste (Frune); o engenheiro Mozart Bandeira Arnaud, ex-diretor de Operações da Chesf; e Welington Diniz, representante da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) e do Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNU).

No encontro, Camilo Santana reforçou os argumentos usados pelos governadores nordestinos contra a privatização da Eletrobrás/Chesf em carta enviada ao presidente Michel Temer (PMDB), em setembro de 2017. Os gestores questionam o projeto da União de vender o setor elétrico, estratégico para o País, para minimizar o déficit do orçamento federal. Segundo o entendimento do governador cearense, água e energia não são mercadoria e, por isso, não podem ser vendidas. Os chefes do Executivo também se preocupam com o destino do Rio São Francisco, caso a Chesf seja vendida. A Companhia controla a vazão das águas do rio para a geração de energia. O Velo Chico também é estratégico para a pesca, para o transporte e para a irrigação.

No encontro com os dirigentes sindicalistas, Camilo Santana também assumiu o compromisso de articular a bancada federal do Ceará no Congresso Nacional, os demais governadores nordestinos e o governador de Minas Gerais (Estado por onde também passa o Rio São Francisco), Fernando Pimentel (PT), para barrarem a privatização da Eletrobras/Chesf. Na reunião, Camilo Santana se disse surpreso que o Governo Federal ainda insista em aprovar o projeto, mesmo diante de todas as críticas.

O governador se prontificou ainda a conversar com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), para a viabilização da instalação da CPI do Setor Elétrico, projeto de autoria do senador Hélio José (Pros-DF). A proposta, apoiada pelas entidades sindicais do setor elétrico, tem o objetivo de abrir a "caixa preta" do setor elétrico nacional como forma de desmentir o argumento do Governo Federal de que o sistema Eletrobras é inviável e gera prejuízos.

A vice-presidente do Sindeletro, Joelbia Maia, avalia que o encontro do CNE com o governador do Ceará, Camilo Santana, foi importante porque fortalece o movimento nacional contra a privatização da Eletrobras/Chesf. A mobilização tem recebido apoios não só dos movimentos sindicais e populares, como também de autoridades públicas e de outros setores da sociedade. No encontro, os dirigentes sindicais entregaram a Camilo Santana a camisa da campanha contra a privatização da Chesf e uma carranca que tem sido o símbolo da luta contra a ameaça ao Rio São Francisco. 

Compartilhe

Voltar

Vídeo