Terça, 03 Outubro 2017 12:15

Trabalhadores da Chesf do Ceará realizam ato no Dia Nacional em Defesa das Empresas Públicas Destaque

Trabalhadores e trabalhadoras da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) atenderam à convocação do Sindicato dos Eletricitários do Ceará (Sindeletro) e realizaram, na manhã desta terça-feira (03/10), um ato em frente às sedes de Fortaleza e de Milagres contra a privatização do setor elétrico nacional. A atividade no Ceará reforça a programação do dia 03 de outubro, escolhido como o Dia Nacional em Defesa das Empresas Públicas. Por todo o território nacional, estão sendo realizadas atividades contra a tentativa do governo golpista de Michel Temer de privatizar empresas estatais. O ponto alto dos protestos ocorreu no Rio de Janeiro com uma grande concentração na frente da sede da Eletrobras. O Sindeletro também está presente no ato realizado na cidade.

Os empregados da Chesf no Ceará têm participado ativamente da campanha contra a privatização da Eletrobras e suas subsidiárias, coordenada nacionalmente pelo Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE). É a terceira vez que os trabalhadores realizam um ato na sede da Companhia em Fortaleza contra a privatização da Companhia. Nesta terça-feira, os dirigentes do Sindeletro e os trabalhadores da empresa traçaram estratégias para intensificar o trabalho de conscientização da sociedade brasileira sobre os riscos do processo de privatização do setor elétrico.

O presidente do Sindeletro, Cesário Macedo, enfatizou a necessidade de os trabalhadores da Chesf reforçarem a divulgação dos prejuízos que a privatização do setor elétrico trará para todos os brasileiros, como o aumento da energia elétrica. “A hora de reagir é agora. Não podemos permitir que este governo entregue para os estrangeiros o nosso patrimônio. Este Dia Nacional em Defesa das Empresas Públicas serve para pressionar o governo contra a tentativa de vender as empresas estatais”, afirmou.

 

Apoio dos governadores do Nordeste

Durante o ato na Chesf, o diretor do Sindeletro e secretário geral da Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste (Frune), Flávio Uchoa, fez um panorama das atividades que estão sendo realizadas na região contra a privatização da Chesf. Na última segunda-feira (02/10), representantes das Frentes Parlamentares em Defesa da Chesf do Congresso Nacional e da Assembleia Legislativa de Pernambuco, dirigentes da Frune e dos sindicatos do setor elétrico nordestino tiveram uma audiência com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, sobre o tema.

Segundo Flávio Uchoa, o gestor manifestou pleno apoio ao movimento nacional contra a privatização da Chesf e afirmou que, se o Governo Federal não abrir o diálogo sobre a questão, o governo de Pernambuco partirá para a judicialização para impedir a venda da Companhia.  “O governador entende, como nós entendemos, que a privatização da Chesf significará a privatização do rio São Francisco porque qualquer empresa que comprar a Companhia irá privilegiar a geração de energia, em detrimento da irrigação, da pesca, do transporte e do consumo humano”, explica Uchoa.

Além de Paulo Câmara, já manifestaram apoio ao movimento contra a privatização da Chesf os governadores da Bahia, Rui Costa; do Piauí, Wellington Dias; e da Paraíba, Ricardo Coutinho. Segundo o diretor do Sindeletro, Flávio Uchoa, já está sendo articulado o agendamento de audiência entre representantes da Frune e dos sindicatos do setor elétrico e o governador do Ceará, Camilo Santana, sobre o tema.

No início de setembro, todos os governadores nordestinos assinaram um documento entregue ao Governo Federal em que já afirmavam que “a transferência para investidores privados do controle operacional das usinas do Sistema Eletrobras, particularmente daquelas geridas pela Chesf, condicionará por décadas todo projeto ou ação que demande água do Rio São Francisco”, o que não pode ser realizado, visto que os estados nordestinos passam por crise hídrica.



Compartilhe

Voltar

Vídeo