Quarta, 03 Maio 2017 16:38

Sindeletro aguarda que a Energimp oficialize acordo para pagamento de passivo trabalhista da WPE/Impsa Destaque

O Sindeletro encampou um longo processo de negociação para que a Energimp assumisse as dívidas trabalhistas pendentes de 2014 e 2015 dos trabalhadores oriundos da empresa WPE/Impsa.


O Sindicato dos Eletricitários do Ceará (Sindeletro) concluiu, em reunião nesta quarta-feira (03/05) com a gerência da Energimp no Ceará, a etapa de conferência dos valores de dívidas trabalhistas pendentes relativas a 2014 e 2015 dos trabalhadores oriundos da empresa WPE/Impsa. Agora, o Sindicato aguarda que a Energimp apresente a proposta oficial do acordo com os valores devidos a cada trabalhador e a forma de pagamento acordada.

A grande maioria dos valores a serem pagos pela Energimp coincide com os apresentados pelo Sindeletro aos beneficiados. Caso tenha havido alguma mudança significativa de valores, o Sindicato entrará em contato novamente com o trabalhador.

O Sindeletro encampou um longo processo de negociação para assegurar o pagamento das dívidas trabalhistas pendentes de 2014 e 2015 dos trabalhadores oriundos da empresa WPE/Impsa. Durante o acordo coletivo 2015 e 2016, o Sindicato sempre buscou que a empresa Energimp assumisse o passivo trabalhista da WPE/Impsa. Em novembro de 2016, com o não avanço na negociação, o Sindeletro informou à Energimp que recorreria à Justiça do Trabalho. Somente a partir daí, a Energimp aceitou negociar e iniciar o processo de cálculo do passivo trabalhista da WPE/Impsa.

Ao longo do processo, o Sindeletro coletou informações sobre a dívida trabalhista e realizou várias reuniões com o Departamento de Recursos Humanos da Energimp para a conferência dos valores devidos aos trabalhadores. O Sindicato também se reuniu separadamente com os trabalhadores a serem beneficiados para confirmar quanto cada um deles terá direito. O Sindeletro aguarda agora a apresentação oficial do acordo pela Energimp, dentro dos moldes do que foi acordado.

Trabalhadores e trabalhadoras, fiquem atentos e acompanhem pelo site do Sindeletro notícias sobre o processo.

Compartilhe

Voltar

Vídeo