Nota de pesar – Cleiton Lima
27 de abril de 2020
Sindeletro luta junto com os trabalhadores há 84 anos
14 de maio de 2020

 

 

 

 

 

 

O Sindicato dos Eletricitários do Ceará (Sindeletro) repudia a demissão de trabalhadores e trabalhadoras dispensados de seus empregos na Coelce/Enel e prestadoras de serviço. Nestas terceirizadas, há inclusive denúncias de atraso no pagamento de verbas rescisórias. Vale ressaltar que as demissões estão ocorrendo enquanto o povo brasileiro passa pelo evento que mais causou mortes no país nos últimos 102 anos, a pandemia de covid-19.
São milhares de famílias que vivem esse momento de profunda dor em meio a tantas outras dificuldades impostas por essa doença que tem sido tão devastadora. O Ceará já registra 1.153 mortes e mais de 16,7 mil casos da doença confirmados desde meados de março até o dia 11 de maio. Em todo o Brasil já houve 11.123 mortes e mais de 162 mil casos confirmados.

A tensão de tentar se proteger contra o novo coronavírus quando é necessário sair de casa para trabalhar acompanha especialmente quem atua nos serviços essenciais. No último dia 4  de maio, lamentamos publicamente o falecimento do colega Magno Santos da Silva, 37 anos, por covid-19.
Eletricitários e eletricitárias do Ceará lidam com as limitações impostas pela pandemia, em estado permanente de alerta, para manter hospitais, supermercados e outros serviços essenciais funcionando enquanto a maior parte da população precisa ficar em casa.

Acabamos de comemorar o 1º de maio, dia do trabalhador, fortalecendo as nossas bandeiras por saúde, emprego, renda, democracia e solidariedade. O Sindeletro exige respeito à vida e às leis. A saúde e a vida de cada trabalhador importam. Ninguém é só um número.