Negociações do ACT com CPFL Renováveis não avançam

Sindeletro lança edital de convocação de eleição sindical
17 de setembro de 2019
Sindeletro cobra à Justiça pagamento de FGTS dos trabalhadores da Energimp
23 de setembro de 2019

A segunda rodada de negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019/2020 dos empregados da CPFL Renováveis não teve avanço, na quarta-feira, 11. A empresa não mudou sua conduta na mesa de negociação ao ignorar e rebaixar as reivindicações dos trabalhadores, mostrando pouca disposição com as representações sindicais.

Não houveram avanços nas cláusulas financeiras, apresentando índices inferiores à inflação e condições adversas aos reivindicados pelos trabalhadores. Diante disso, as representações sindicais reafirmaram a pauta dos trabalhadores e rejeitaram por unanimidade a proposta da empresa. A próxima reunião está marcada para o dia 03/10, às 11 h, na sede da Empresa, em campinas/SP.

Além do SINDELETRO, participaram da reunião do dia 11 representantes do STIEESP, STIEEC e SINTERN.

 
Proposta apresentada pela empresa:

 
>Reajuste Salarial: 2,98%;

>Piso Salarial: R$ 1.271,66;

>Vale Natal: de R$ 159,84 para R$ 164,60;

>Vale Refeição: de R$ 808,90 para R$ 833,00;

>Auxílio Creche: de R$ 559,20 para R$ 575,86;

>Gratificação de Férias: de R$ 889,30 para R$ 915,80;

>Adiantamento Salarial: alterar para 35% da remuneração fixa mensal dos empregados, e antecipar para o dia 12 de cada mês;

>Ajuda de Custo: Exclusão da cláusula do acordo coletivo;

>Gratificação de Férias e Auxílio Alimentação – Transferidos: Incorporar em rubrica a parte o valor correspondente à diferença entre o valor atual praticado e o valor percebido pela prática, tendo como base o valor do termo aditivo do ACT, proporcionalizando mês a mês durante o ano;

Auxílio alimentação: O valor será creditado no cartão magnético de alimentação/refeição, nos termos do termo aditivo ao acordo coletivo de trabalho;

>Auxílio Moradia: Exclusão da cláusula do acordo coletivo;

>Transferência de Local de Trabalho: pagamento de duas bases mensais, com piso de R$ 4.315,00 para R$ 4.443,59 e teto de R$ 20.136,66 para R$ 20.736,73;

>Vale Transporte: a empresa propõe alterar o texto para novos empregados de acordo com a legislação vigente, mantendo o direito dos que já adquiriram;

>Compensação de Horas: Extensão do acordo de compensação de horas extras de SP/Campinas para todas as empresas;

>Retroativos: exclusão da cláusula do acordo coletivo;

>Demais Condições: as Partes acordam que os itens de interesse serão discutidos em até 100 dias, após assinatura do acordo coletivo;

>Vigência do Acordo Coletivo de Trabalho: um ano.
19.09.19_-_BOLETIM_-_CPFL_Renovaveis.pdf